• App Ibametro
  • Aniversário ibametro

Notícias

03/10/2019 15:20

Ibametro fortalece fiscalização de fios e cabos elétricos com uso do equipamento portátil microhmímetro

O Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade, órgão delegado do Inmetro na Bahia, adotou nova dinâmica na fiscalização de fios e cabos com uso do equipamento portátil microhmímetro, que possibilita pré-ensaios in loco, nos próprios estabelecimentos onde são vendidos.

Fiscalização rotineira do Ibametro, ganha assim um reforço considerável no combate a irregularidades nesse tipo de comércio. Já na primeira fiscalização realizada com o aparelho, nos dias 25 e 26/09, 50% do material que passou por exames laboratoriais mais completos, na sede do órgão, foi reprovado, comprovando a alta incidência da comercialização de fios e cabos com baixa qualidade, responsáveis até mesmo por princípios de incêndios.

Em dois dias de fiscalização em lojas dos bairros da liberdade, suburbana e Iapi, o Ibametro fez apreensão cautelar de 10 rolos de fios e cabos elétricos, após a realização do pré-teste ‘in loco’. As amostras coletadas foram levadas ao laboratório para ensaios definitivos, sendo 50% do material reprovado. Houve ainda reprovação de produtos, devido ao registro suspenso junto ao Inmetro.

Os estabelecimentos foram notificados, e todo material irregular foi apreendido para destruição apropriada pelo Ibametro. As multas podem chegar a R$1,5 milhão, a depender de cada caso.

“Com a utilização do microhmímetro, podemos averiguar a conformidade do produto. A principal irregularidade é a fabricação de material com baixa quantidade de cobre em relação ao indicado pelas normas técnicas, colocando em riscos à segurança e a saúde do consumidor”, explica o diretor-geral do Ibametro, Randerson Leal.

O gestor esclarece que “quanto menos cobre, maior a resistência elétrica”. Isto significa que os elétrons que passam por esses fios terão mais dificuldade para circularem e aumentam a resistência, ou seja, essa resistência se transforma em calor, aumentando a probabilidade de que ocorra um aquecimento desses fios e cabos, ocasionando curtos circuitos; danificação de eletrodomésticos e até mesmo provoquem incêndios.

Exames em material apreendido constataram produto com a percentagem excedida de resistência elétrica de 123%, segundo a Norma ABNT NBR NM 280-2011 que estabelece o valor máximo de resistência elétrica para cada condutor.

Produtos devem ter o selo do INMETRO – fios e cabos elétricos são produtos de certificação compulsória, com o processo de avaliação da conformidade regulamentado pelo Inmetro. Assim, devem apresentar na etiqueta de identificação e diretamente no produto o símbolo do Inmetro e o número de registro do produto, além de informar o órgão Certificador e seu número de identificação. Os produtos devem conter ainda dados do fabricante, como endereço, CNPJ e telefone para contato.

Ascom – Ibametro

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.