• App Ibametro
  • Aniversário ibametro

Notícias

07/06/2019 16:30

Ibametro orienta os consumidores sobre problemas com hidrômetro

O Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro), órgão delegado do Inmetro na Bahia, orienta os consumidores sobre problemas com hidrômetro. Um total de 2,727 mil instrumentos foram verificados em 2019, até o mês de maio, sendo 1,486 mil aprovados e 1,241 mil reprovados, em função de problema nos dispositivos internos do medidor.

Caso desconfie de alguma irregularidade, o consumidor deve ligar primeiro para a Embasa, não se sentindo satisfeito, acionar o juizado que enviará ofício para o Ibametro realizar as inspeções e verificações metrológicas do medidor.

“A maior parte dos atendimentos que estamos fazendo, em todo o Estado, é fruto de denúncia de consumidores, que acionam a justiça para solucionar a questão. O Ibametro acompanha a retirada do instrumento pela Embasa e o leva para análise em bancada medidora. Após o exame, o Ibametro emite o laudo técnico em resposta ao processo judicial, confirmando ou não a existência do problema", explica o diretor-geral do Ibametro, Randerson Leal. 

O consumidor deve sempre acompanhar a retirada do hidrômetro pela Embasa e checar se no documento, que precisará assinar atestando a retirada do equipamento para verificação metrológica, constam informações sobre as condições em que foi retirado o instrumento, inclusive se este portava o lacre, bem como deve constar o número de série do referido aparelho. O consumidor fica com uma cópia do documento.

O setor de hidrometria do Ibametro tem capacitado as equipes das agências regionais do órgão para verificação metrológica e emissão de laudos técnicos, visando descentralizar esse tipo de serviço para agilizar o atendimento ao consumidor usuário do serviço da Embasa.

Os laudos técnicos são solicitados pela justiça, em casos em que os consumidores pedem ao Ibametro e/ou à Embasa a verificação do hidrômetro por desconfiarem que o instrumento de medição esteja funcionando de modo incorreto, podendo incidir em cobrança de valor indevido.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.